Pesquisar este blog

terça-feira, 22 de março de 2011

22 de março dia Mundial da Água


No dia Mundial da Água reapresentamos a proposta de um Museu das Águas para Porto Alegre

1. Justificativa

A água é uma substância essencial e indispensável para todos os seres vivos e para todas as atividades da sociedade humana. Como componente do ambiente natural da Terra, tem um papel fundamental no equilíbrio ecológico e na preservação das condições ambientais que permitem a nosso planeta gerar e manter a vida como a conhecemos.

A quantidade de água existente no planeta não se altera ao longo dos tempos, mas sua presença não é uniforme:

- espacialmente, oscila entre a abundância excessiva nas zonas mais úmidas e a extrema escassez nas regiões áridas e desérticas;

- temporalmente, em uma mesma região varia, com maior ou menor regularidade, das épocas secas, chegando a fortes estiagens de maior ou menor duração até os períodos de chuvas, mais ou menos intensas, prolongados ou breves.

Desde a revolução industrial, aumentaram em intensidade e em diversidade os usos da água para as atividades humanas e, em decorrência disso, a disponibilidade desse importante recurso natural deixou de ser considerada como ilimitada, tanto localmente quanto em âmbito planetário. Em outras palavras, a água não é um recurso inesgotável. O aumento e a simultaneidade de usos fizeram com que a sociedade fosse confrontada como a realidade da escassez, seja presente ou futura, seja em âmbito mais localizado ou mais amplo. Para determinados usos, entre eles os mais nobres como o abastecimento humano ou a dessedentação animal, a escassez pode-se produzir em termos de quantidade (quando o consumo torna-se maior do que a disponibilidade) ou de qualidade (quando alguns usos produzem alterações de qualidade que impedem o aproveitamento para outros usos).

As questões relacionadas com a disponibilidade limitada da água frente a usos cada vez mais diversificados e crescentes é um tema que vai se tornando prioritário na pauta dos governos e da opinião pública de todo o mundo. Tanto em escala mundial quanto no âmbito das nações, demandam-se políticas públicas que estabeleçam uma gestão pública das águas.

A gestão pública deve ser enfocada na proteção (conservação, recuperação e preservação) dos recursos hídricos e na racionalização e compatibilização dos usos múltiplos desses recursos e concretiza-se em leis, sistemas institucionais e instrumentos gerenciais.

No cerne da política pública para a proteção e o melhor uso das águas está o processo de educação e de conscientização dos cidadãos,

Um museu das águas pode contribuir para a concretização dos objetivos da gestão das águas, na medida em que pode ser importante instrumento de educação e conscientização com todos seus componentes: informação, comunicação, divulgação, participação, entre outras funções culturais.

2. Conceito geral

O museu terá como tema a água, bem ambiental limitado, essencial para a vida e para o desenvolvimento social, suas manifestações na natureza, suas características físicas, os usos múltiplos e simultâneos atuais e ao longo da história e a gestão pública dos recursos hídricos.

3. Proposta básica

O Museu das Águas constituir-se-á de três Eixos:

- Eixo Educativo – em que o tema será desenvolvido em seus diversos aspectos sob forma de modelos reduzidos e maquetes (por exemplo, uma bacia hidrográfica, uma estação de tratamento de água, um sistema de irrigação, uma estação de tratamento de efluentes industriais, uma barragem para geração de energia etc), jogos, instrumentos audiovisuais, programações com escolas, cursos, seminários etc.

- Eixo Histórico – onde serão preservados artefatos e documentos relacionados com a história da água e de seus usos (utensílios de diversas culturas relacionados com os usos da água e dos corpos hídricos, peças e maquinismos com valor histórico referentes a tecnologias, serviços e instituições, documentos, fotos, vídeos ou filmes e outros registros históricos)

- Eixo Artístico – espaço para receber obras produzidas por artistas nos mais variados formatos, suportes, propostas e concepções, enfocando o tema do Museu em seus diferentes aspectos; assim como fomentar a produção dessas obras através de concursos, cursos, oficinas etc. Os espaços expositivos servirão para a apresentação tanto de um acervo a ser constituido quanto para mostras temporárias, oportunizando, inclusive a permuta com entidades similares.

- Os eixos (ou módulos) descritos acima não deverão ser estanques, mas dinamicamente interligados e integrados. Deverá haver a previsão de um espaço comum (midioteca) que abrigue elementos escritos (livros, revistas, cartazes etc), audiovisuais (fotografias, filmes, vídeos, bancos de dados) e sonoros (gravações), aberto ao acesso individual ou coletivo, seja por fruição ou para pesquisas científicas ou educacionais.

4. Museu como Centro de Referência

Em sintonia com a tendência museológica contemporânea de fazer dessas instituições organismos dinâmicos e atuantes, o Museu das Águas deve ser um verdadeiro centro de referência para a conscientização das questões relacionadas com a proteção das águas e a mobilização dos cidadãos. Deve articular-se com outras instituições com finalidade similar, proporcionando oportunidades de pesquisa documental e promovendo conjuntamente eventos educativos, culturais e recreacionais vinculados ao tema central.

Acesse: http://museudasaguasdeportoalegre.wordpress.com/

5. Museus das Águas no Mundo

Em outros países foram criados museus temáticos voltados à água ou que se ocupam com a questão ambiental, de forma mais ampla, onde aparece também a água. A seguir elencamos alguns exemplos de museus existentes.

- Lisboa, Portugal – Museu da Água da EPAL- (http://museudaagua.epal.pt)

- Arnhem, Holanda - o Netherlands Water Museum – (http://www.watermuseum.nl)

- New York, USA – New York Museum of Water – (http://www.nymw.org)

- São Petersburgo, Rússia – (http://www.saint-petersburg.com/museums/museum-water.asp)

- Perugia, Itália – Museo delle Acque de Perugia, (http://www.perugianotizie.blogspot.com)

- Rovigo (Veneto), Itália – Museu delle acque CrespinoItália – (HTTP://www.sistemimuseali.sns.it/content).

- Emilia Romagna, Itália – Ecomuseo delle Acque di Ridracoli – (http://www.riminibeach.it/visitare/ecomuseo-ridracoli)

- Londres, Inglaterra – o Kew Bridge Steam Museum – (http://www.kbsm.org).

- Sierra de Grazalema, Espanha-Ecomuseo del Agua de Benamahoma– (museosdeandalucia.com/losmuseos/ca/Benamahoma)

- Murcia, Espanha -Museo de la Ciência y del Água da Murcia – (murciadailyphoto.blogspot.com/2009_11_01_archive.html)

- Em Buenos Aires, Argentina – (o Palácio de las Águas Corrientes) – (http://www.aysa.com.ar/index.php?id_seccion=189)

- Blumenau, Brasil – (www.radarsul.com.br/blumenau/museu-agua.asp)

-Cuibá, Brasil – Museu-do-morro-da-caixa-dagua-velha – (cuiaba.wordpress.com/…/morro-da-caixa-dagua-velha)

- Piracicaba, Brasil – (www.semaepiracicaba.org.br/site/…/museu-da-agua)
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...