Pesquisar este blog

quinta-feira, 4 de fevereiro de 2010

A ECOLOGIA NÃO TIRA FÉRIAS




No ano de 2009, Carbon Kid e Eu, nos dedicamos intensamente às questões ambientais de nossa cidade. Instintivamente, para ter voz ativa no Movimento Ambientalista, nos tornamos de forma quase instantânea em videomakers, performers, fotógrafos, escritores e estrategistas.

Significou a consolidação de nossa carreira artística iniciada em 2008 com a exposição “PÁ-PÌRUS” na Usina do Gasômetro. Bem como, o reconhecimento do nosso trabalho por parte de algumas pessoas que passaram ser parte importante de nossas vidas.

Cabe repetir, que graças às maravilhas digitais, esta odisséia encontra-se registrada neste blog. Com parcos recursos construímos uma obra em vídeos fotos e textos, que ilustram própria história da cidade e a luta de alguns cidadãos em prol da boa qualidade de vida.

Embora, seja um trabalho prazeroso a causa ambiental por vezes se torna cansativa. Pois, temos que largar as atividades de sustento para enfrentar políticos defensores do concreto e da especulação imobiliária. Ganhamos e perdemos algumas das batalhas.

Por isso, resolvemos tirar no início de 2010 alguns dias de férias para fazer um balanço e sondar as perspectivas. Também, para saber se continuaríamos na luta, já que ainda não alcançamos a sustentabilidade através deste trabalho.

Fomos para o litoral próximo. A vidinha estava numa relax, numa tranqüila, numa boa. Quando íamos para a praia sempre topávamos com algumas corujas-burauqueiras guardando a entrada das tocas. Este tipo de coruja vive em famílias, seu nome científico é “athene cuniculária”.
As tocas ficam no meio da face oeste das dunas de Tramandaí, protegidas dos ventos marinhos. São sete tocas, é legal vê-las tomando um sol. Elas têm uma certa tolerância ao homem. Quando assustadas elas dão vôos rasantes e fazem um som estridente.

Mas, o que não tava legal era o lixo que começava a ser carreado para base das dunas. Inclusive identificamos paus e pedras que haviam sido jogadas nos buracos das corujinhas por algum desocupado.
Diante deste quadro terrível resolvemos por bem suspender um pouco as férias e tomar alguma atitude na defesa das corujinhas. Faríamos algumas placas identificando a espécie de coruja, pedindo respeito e para não jogar lixo no local. Fui atrás de material. Encontrei jogado em terrenos baldios fundos de gaveta brancos, alguns sarrafos e restos de tintas da reforma do prédio em que estávamos. Pronto já tínhamos tudo o que precisávamos era só literalmente por mãos à obra.
Carbon Kid, não estava muito inspirado. Então confeccionei as placas e as pintei durante os períodos do dia em que caiam as chuvas de verão. Razão pela qual a instalação ficou para último dia de nossas curtas férias.
Nos dirigimos até as dunas e em frente a cada toca colocamos uma placa. Ficou bem legal, enquanto realizava a empreitada Carbon kid fazia o registro em fotos e vídeos. Com a ajuda da Internet, recolhemos mais informações sobre os bichinhos e editamos e demos ao trabalho o nome de “Protegendo as Corujas-buraqueiras”.
Encerrada nossa estada na praia restou-nos a certeza de que a ecologia não tira férias. Ainda não sabemos se devemos continuar com trabalho, a subsistência está nos exigindo a presença em outros setores da sociedade. Mas, enquanto pudermos continuaremos prestando nossa colaboração às causas ambientais.

Mais uma coisinha, a coruja-buraqueira diferencia-se da outras corujas por ter hábitos diurnos, não apresentar sobrancelhas. Como as demais corujas enxerga 100 vezes mais que o homem.




Um comentário:

  1. Cara. Bela foto a piscada monocular da coruja.

    estudo comportamento desses animais e gostaria de usar a imagem, te referenciando como autor.

    Abraço

    marcelo dias marcelo.neurodinamica@gmail.com


    "segundo meu trabalho ela pisca mais com um dos olhos quando está prestando atenção, ou estressada!"

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...