Pesquisar este blog

sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Quem (?) & Kid Enfrentam os Poderosos Parte 03



PROTESTOS NA 54º FEIRA DO LIVRO


Todos nós, favoráveis ao desenvolvimento racional da cidade Porto Alegre, não nos sentimos derrotados com a aprovação do projeto do Pontal (12.11.2008). Haveria ainda um trâmite legal para sacramentar a decisão do parlamento municipal (apreciação do prefeito) para transformar esta barbaridade em lei. Neste ínterim, poderíamos continuar a luta pelo acesso irrestrito do cidadão porto-alegrense às margens de seu amado Rio Guaíba. Uma questão emblemática para reconstrução do vínculo do cidadão com o Rio.

Até, por que a sessão que aprovou o projeto repercutiu muito na imprensa, sendo considerada, por muitos, como histórica pelo embate passional travado entre vereadores e vereadores; e vereadores com manifestantes contrários. O barulho foi tanto, que a cidade acordou para o fato. Virou comentário nas ruas. Criando esperanças para um possível Veto do Prefeito. Sabe como é... Nosso alcaide anda sonhando em ser governador e...

Enquanto, Carbon Kid e Eu, discutimos e nos preparamos para uma nova exposição, no ano corrente, resolvemos nos dedicar à defesa de alguns direitos inerentes à cidadania. Entre eles posso citar: a liberdade de expressão, o acesso à informação, a cultura e ao convívio social saudável em ambiente natural qualificado. Por isso a derrota na câmara nos fez muito bem. Pois, de acordo com um antigo provérbio chinês, a derrota só é bebida amarga se concordarmos em tragá-la. Com este intuito, perseveramos em nossos propósitos e mesmo não fazendo parte de nenhum grupo civil organizado continuaríamos dando nossa contribuição à causa do chamado “Pontal do Estaleiro”.

Pensando numa oportunidade de manifestar nossa opinião, em público, lembrei que a Feira do Livro 2008, terminaria no dia 16 de novembro de 2008. A tradição reza que o xerife da feira, Júlio Laporta, encerra o evento percorrendo a feira tocando uma sineta, a este sinal as bancas vão se fechando paulatinamente, tudo é acompanhado pelo patrono da feira, convidados, público e pela imprensa. Neste momento são distribuídas rosas vermelhas às mulheres presentes. Estas imagens são sempre necessariamente mostradas e ou comentadas em todos os órgãos de imprensa. Achei boa esta oportunidade. Invadiríamos este momento com cartazes contra o “Pontal do Estaleiro”.


Pensamos em frases para Carbon fazer 2 cartazes com dizeres diferentes nos quatro lados. Mas, por falta de material ele fez um só que dizia de um lado, “não a favela chique do pontal do estaleiro” e do outro, “pontal do estaleiro especulação escancarada”. Fiquei fulo, se soubesse deste problema teria feito eu o serviço. Mas, pelo menos ele fez com dizeres criados por mim.

No começo daquela tarde fazia muito calor e por conta da trapalhada dele discutimos e ele foi pro gasômetro. Disse, que iria para lá depois, mas antes faria uma passeata de um homem só. Foi um sucesso, quase não podia caminhar, parava para dar incansáveis explicações sobre o que estava acontecendo. Muitas manifestações de apoio.


Desci até o gasômetro onde Carbon me esperava com umas pequenas (garotas). Conversamos demos risada e nos preparamos para o misancene. Como faltava cartaz, improvisei com uma folha de ofício um cartazete de dois lados com os dizeres, porto-alegrense proteste e orla é do povo.

Chegamos na feira e nada de encerramento. Percorremos, com nossos cartazes, várias vezes a feira, sempre recebendo calorosas manifestações de apoio. Por fim, Havia um show de banda pernambucana muito cativante. Peguei cartaz da favela chique e fui dançar em frente do público com uma menina de mais ou menos quatro anos. Ela fazia coreografias e eu repetia e vice-versa. Tinha outras pessoas na roda. O ambiente era de descontração total. A haste do cartaz dobrava parecendo que ia quebrar, mas não. A agitação foi tão boa que o vocalista da banda desceu para dançar com a gente, o carnaval se instalou.
Começou a cerimônia de encerramento. Lá ia, bem a frente do cortejo, o xerife tocando sineta junto do patrono, Charles Kiefer, políticos e expoentes literários. Conseguimos nos posicionar atrás deles. Assim o um bando de fotógrafos e cinegrafistas na nossa frente que registravam o encerramento, também registravam nossos cartazes de protesto. Onde havia câmeras registrando, corríamos para lá e exibíamos os cartazes. Funcionou e bem. Até tentaram nos retirar duas vezes do cortejo, mas rosnei tão forte que o cara viu que era encrenca certa e me largou de mão. Às vezes nos misturávamos com saltimbancos que com uma bandinha acústica tornavam o evento mais poético.

No final do cortejo os políticos e patrono foram discursar e subimos no palanque, sem que percebessem, ficando de novo por detrás deles. Na metade do palavrório fomos descobertos em cima do palco. Tentaram nos expulsar. Resistimos e vieram seguranças. Carbon Kid quase apanhou, intercedi para que isso não acontecesse e descemos do palco, mas ficamos fazendo um vai e vem em frente ao palanque.

Trabalho realizado, enquanto descansávamos da agitação, veio um cinegrafista e nos deu parabéns pelo trabalho.

Ao chegar em casa, Fui assistir o Tele domingo e lá estávamos nós, na reportagem do encerramento da feira. Depois Vieram notícias de aparecimento em outros canais locais de TV. Além disso, nossos cartazes apareceram na capa do Correio e encarte central; no Sul, onde os cartazes aparecem nitidamente.

Mais uma vez sentimos o gosto do dever cumprido. Fomos à feira para divulgar nossa opinião contrária ao “Pontal do Estaleiro” para o público presente e principalmente para imprensa e conseguimos. Dias depois sobreveio a notícia do veto do prefeito ao projeto.





Os literatos presentes também protestaram quebrando a tradição.Em vez de rosas, por corte de verbas, distribuíram marcadores de página, com cartum de Edgar Vasques, uma rosa no papel, presa a um pequeno livro, atrás uma xuraminhonga. Tenho alguns, são históricos.







Também não achei mais no clic RBS o link do Tele Domingo do dia 16.11.2008, entrarei em contato com eles. Se não forem schulleper comigo, em breve publico o link no blog. Na próxima postagem: “Carbon Kid sofre atentado contra seu direito à liberdade de expressão em plena sessão e por ordem do presidente da Câmara de vereadores de Porto Alegre, Vereador Sebastião Mello”.



VEM AÍ: "A MORTE DE PLÁSTICO" HEHEHEHEHE!!!!!! "MORTE DE PLÁSTICO"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...